ma fru.jpg
QUEM SOMOS

SOBRE AS ORGANIZADORAS

Marcella Arruda es artista transdisciplinar de São Paulo. Arquitecta y urbanista por la Escola da Cidade (2017). Diploma en Interactive Media Design en The Royal Academy of Arts en Den Haag (NL). A través de instalaciones, intervenciones arquitectonicas, performances y programas pedagogicos, Marcella explora las relaciones entre corpo y territorio por medio de construcciones simbolicas como materia de pertenencia y agencia. Trabaja en la intersección de arte, arquitectura, politica y educación para abrir posibilidades de otros modos de habitar. Marcella fue participante de distintos movimientos de ocupación del espacio publico, como MUDA coletivo y Escola Sem Muros. Es directora de Proyectos del instituto a Cidade precisa de você.

 

Marina Frúgoli é paulistana e curadora formada em arquitetura e urbanismo pela FAU USP. Estudou arquitetura da paisagem na Amsterdam Academy of Architecture através do programa Ciência sem Fronteiras. Desde 2018 é curadora da Coleção BEI de bancos indígenas brasileiros e assistente de coordenação de projetos do Intermuseus. Em 2019, realizou a exposição “desvios (in)contidos”, selecionada no II Edital OMA de Curadoria. Como assistente de curadoria, atuou nas exposições “São Paulo, três ensaios visuais” (2017) e “Conflitos: fotografia e violência política no Brasil 1989-1964” (2017), ambas no Instituto Moreira Salles,  “Ocupação Paulo Mendes da Rocha” (2018), no Itaú Cultural, e na exposição itinerante “Bancos Indígenas do Brasil”, que passou por Tóquio, São Paulo e Curitiba.

RESIDÊNCIA CULTURAL

O Marieta é um centro de cultura voltado para o pensamento contemporâneo, que envolve pessoas de gerações e experiências diferentes, e se propõe como lugar de criação, debate e difusão de produções artísticas e culturais.  Desde 2015 no centro de São Paulo, o Marieta fomenta na sociedade civil a reflexão em arte, cultura e sociedade com uma constante e variada programação cultural pública. Com a  impossibilidade de organizar encontros presenciais por tempo indeterminado, o Marieta está trabalhando para oferecer momentos virtuais de produção e reflexão coletiva, para manter as mentes ativas e atentas.

O objetivo do programa de residências é possibilitar o desenvolvimento de artistas, pesquisadores e trabalhadores de todos os âmbitos da cultura, com o acompanhamento da equipe do Marieta.

 

projetomarieta.com.br

@projetomarieta

MICROARQUITETURAS E COLHEITAS GRÁFICAS

André Moraes, artista-arquiteto, urbanista e mestre em desenvolvimento urbano pela UFPE. Em eterna formação em Design Permacultural. Cofundador do @azul.pitanga / atelier criativo de arquiteturas e afetos. Caminhando pelos processos que integram afetos, educação, colaboração, desenho e as artes do fazer. Como docente: Laboratório de Desenho - projeto integrador, Paisagismo e Desenho Urbano na Faculdade Paraíso do Ceará, na região do Cariri (2018-atual) e na especialização Design e Arquitetura de Espaços Efêmeros no IESP (2014-2016). Como artista, atuou nas residências artísticas “MICROSÍTIO en proceso / La Casa Invisible" (2017) em Málaga, Espanha, e “A Cidade Precisa de Praias / FUNARTE" (2015), Recife-São Paulo, e nos seguintes projetos: "Estética Morfológica" (2017-atual), "Labceus: laboratório de cidades sensitivas / INCITI + MINC" (2015), "Projeto Movementes / Funcultura" (2017), "I want to swim in my river, the Machangara Beach / Habitat III Village" (2016) em Quito, Equador, "52+1: crianças no espaço público é sinal de um mundo mais humano / Funcultura" (2016), "Espetáculo Estou Farto de Semideuses / Um Coletivo" (2016), "Exposição Corbiniano Lins: Silêncio da Forma / SESC Santo Amaro" (2015). Entre 2014 e 2016 organizou uma sequência de workshops nacionais e internacionais de prototipagem e intervenção urbana: "Urban Labs no Urban Thinkers Campus Recife / INCITI", "Workshop Paisagem Urgente / INCITI + Laboratório da Paisagem UFPE", "Workshop Internacional Urban Labs / INCITI + FUNDAJ + Consulado Francês", "Prospectando o Recife: Idealizando Futuros Sustentáveis para as Cidades".

MEDIAÇÃO

Paula Monroy é pesquisadora, curadora e fotógrafa chileno-equatoriana. Arquiteta pela Universidad Mayor. Mestranda em Espaço, Projeto e Cultura na FAU USP. Possui estudos de especialização em Arte, Crítica e Curadoria pela PUC-SP (2017). Atua de forma autônoma em projetos curatoriais, editoriais e movimentos sociais abordando a interseção entre arte, política e cidade. Curou a mostra “São Paulo: Diálogos y límites” para a XXI Bienal de Arquitectura y Urbanismo de Chile. Professora titular na Faculdade de Arquitetura da Universidad de las Américas.

JÚRI

Vitruvius é um portal especializado em arquitetura, urbanismo, arte e cultura. Dirigido por Abilio Guerra e Silvana Romano Santos, é disponibilizado na rede mundial internet pela Romano Guerra Editora desde o ano 2000.

vitruvius.com.br

A Casa de Jajja é uma pesquisa prática sobre moradias autoconstruídas para mulheres em zonas rurais,  experimentando o processo criativo e construtivo como um lugar de troca de conhecimento e histórias.

 

acasadejajja.com

@acasadejajja

O Coletivo PermaSampa tem como missão desenvolver e multiplicar a permacultura na cidade de São Paulo, voltado para as reais demandas urbanas e pautado sempre nos três princípios éticos fundamentais dessa prática: cuidar da Terra, cuidar das pessoas e partilhar os excedentes. Para compreender as possibilidades das práticas de design permacultural e sua ética no meio urbano, desde a sua fundação, promoveu o PDC - Curso de Design contando com um time de educadores diverso e com vasta experiência na área.  O curso resulta em planejamento de áreas comunitárias na periferia de São Paulo.

 

facebook.com/permasampa/

© 2020 por Desvendando Processos. Orgulhosamente criado no Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now